Quarta, 22 de Setembro de 2021 01:57
67 99698-9354
21°

Alguma nebulosidade

Campo Grande - MS

Dólar com.

R$ 5,27

Euro

R$ 6,18

Peso Arg.

R$ 0,05

Mato Grosso do Sul Politica

Bloqueio de R$ 131 milhões é pedra no sapato de Nelsinho, suspeito de fraudar obras em Campo Grande

A Justiça de MS determinou o bloqueio por conta de ação do MPE, que acusa o ex-prefeito da Capita de fraude em licitação para contratos de tapa-buraco

09/09/2021 09h09
1.083
Por: Redação Fonte: Top Mídia News
Bloqueio de R$ 131 milhões é pedra no sapato de Nelsinho, suspeito de fraudar obras em Campo Grande

O senador Nelson Trad Filho (PSD) continua com R$ 131 milhões em bens bloqueados por conta de uma determinação da Justiça de Mato Grosso do Sul, em janeiro deste ano. Ele e mais três pessoas de uma empresa foram alvos de ação do MPE (Ministério Público Estadual), que suspeita de fraude em licitações destinadas a recapeamento asfáltico e tapa-buracos. 

Em contato com a assessoria de comunicação do parlamentar foi dito que o processo não teve andamento e que a determinação de 22 de janeiro ainda está mantida. 

A decisão sobre o bloqueio de bens do senador  e dos outros envolvidos foi tomada pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Homogêneos. A soma de bens bloqueados de todos eles chega a R$ 655 milhões.

O MPE acusa o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, de ter agido junto aos empresários e do então secretário de Obras, João Antônio de Marco, onde "praticaram atos de improbidade administrativa que resultaram em dano ao erário e atentaram contra os princípios".

Segundo o MPE, foram encontrados "indícios de direcionamento de licitações para empresas parceiras do esquema que fraudavam a realização do serviço de tapa-buraco e superfaturavam os contratos, desviando dinheiro público".

Na época da decisão, o juiz marcou para dia 2 de setembro a primeira audiência. O senador afirmou por nota, há sete meses, que as acusações eram infundadas: "os recursos serão interpostos e a verdade será restabelecida. Como já ocorreram em outras ações com acusações idênticas".

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias