Sábado, 24 de Julho de 2021 07:01
67 99698-9354
20°

Alguma nebulosidade

Campo Grande - MS

Dólar com.

R$ 5,2

Euro

R$ 6,12

Peso Arg.

R$ 0,05

Nova Alvorada do Sul Oportunidade

Na esperança de conseguirem emprego, Sulnovaalvoradenses migram para Ribas do Rio Pardo em busca de estabilidade

Com o surgimento de mais de 10 mil vagas com a implantação de fábrica de celulose, jovens e adultos tentam recolocação no mercado de trabalho

27/06/2021 17h15 Atualizada há 3 semanas
77.221
Por: Redação
Ilustrativa:Fabrica de Celulose Susano
Ilustrativa:Fabrica de Celulose Susano

Amanda, Adriano, Carlos, Sueli, esses são apenas alguns dos Sulnovaalvoradenses que tiveram a coragem e iniciativa de deixar Nova Alvorada do Sul em busca de trabalho na cidade de Ribas do Rio Pardo. As qualificações dessas pessoas variam de técnica em segurança do trabalho a motoristas, eletricistas, pedreiros e outras profissões, mas a vaga que surgir estamos aceitando, disse Carlos de 33 anos, morador do Vacilio Dias, que partiu na segunda-feira (28) para a cidade de Ribas do Rio Pardo em busca do sonhado emprego.

É difícil partir e deixar a família para trás, diz Adriano de 41 anos morador do Maria de Lourdes, sou motorista, tratorista, mas o que me oferecerem estou aceitando, Adriano, irá partir nesta segunda-feira juntamente com seu cunhado, ex funcionário de uma grande indústria do município, Adriano perdeu o emprego ainda em 2020 durante a pandemia e desde então vive sobrevivendo realizando bico de pedreiro ou ajudante, “não pensei duas vez” é o que diz Adriano quando soube que as obras da Fábrica de Celulose já se iniciaram no município vizinho, “deixo minha mãe, esposa e filha, assim que me estabilizar venho buscar minha família”. Disse Adriano a reportagem

O mesmo caminho que a Amanda, Adriano, Carlos, Sueli estão percorrendo, outras pessoas devem seguir, a escassez de vagas de emprego no município é grande, existem somente duas industrias no município que não é capaz de suprir a demanda de vagas, além disso falta a qualificação profissional, a pessoa precisa sair do município para se qualificar, e muitos preferem buscar novos horizontes para terem sucesso profissional, não só de Nova Alvorada do Sul, mas do Brasil todo deve ocorrer um êxodo como ocorreu recentemente em Três Lagoas com a construção de outra fábrica de celulose, onde pessoas de diversas partes do Brasil vieram em busca de um recomeço de suas vidas.

O anúncio da construção da usina de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo gera, além de mudanças na economia e infraestrutura no município, muita expectativa. O empreendimento, anunciado há alguns dias, deve ter investimento de mais de R$ 14 bilhões, com a fábrica tendo capacidade de produção de 2 milhões e 300 mil toneladas de celulose por ano. Cerca de 10 mil empregos devem ser gerados durante a construção da usina, que deve ter suas obras concluídas em 2024.

Segundo o prefeito de Ribas do Rio Pardo, João Alfredo, o município deve "nascer de novo". A prefeitura estima que, até 2024, a população deve saltar de 25 mil para 32 mil habitantes. "Teremos um incremento na receita, de 2 vezes e meia a três vezes mais de recursos que chegarão aos cofres públicos, com um significativo aumento do PIB", afirmou o prefeito.

Segundo a Secretaria Municipal de desenvolvimento de Ribas, só neste ano a cidade recebeu cerca de 40 pedidos de empresas interessadas em se instalar na cidade. Pelo menos quinze deles surgiram após o anúncio oficial da construção da fábrica de celulose.

"Já estamos fazendo um trabalho com o centro de capacitação do Senai, para que a gente faça essa qualificação emergencial para construção civil. Essa capacitação é um pouco mais de longo prazo, para começar agora e que tenha pessoas que vão trabalhar na fábrica, com formação de mais ou menos dois anos. Precisamos planejar para qualificar a mão de obra local", constata o secretário.

Para o secretário municipal de desenvolvimento, a vinda da fábrica de celulose traz um recado ainda mais importante: o de esperança para a população de Ribas do Rio Pardo, que vive dias difíceis com a pandemia de Covid. "As pessoas estão vendo que é possível ter dias melhoras e que a vinda da empresa vai gerar emprego e renda para a população. As expectativas são boas e estão todos muito otimistas por aqui", finaliza.

2 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias