Quinta, 06 de Maio de 2021 08:53
67 99698-9354
Polícia Homicídio

Policia Civil soluciona caso da Aliana, a mulher encontrada queimada, suspeito já foi preso e confessou o crime

Antes de morrer carbonizada, Aliana foi estuprada após sessão de espancamento

22/04/2021 13h16 Atualizada há 2 semanas
2.787
Por: Redação
Policia Civil soluciona caso da Aliana, a mulher encontrada queimada, suspeito já foi preso e confessou o crime

Antes de morrer, Aliana Dias dos Santos, 41 anos, encontrada carbonizada em meio a canavial de propriedade de uma usina por volta das 14h30 da última segunda-feira (dia 19), foi estuprada após sessão de espancamento, enquanto ainda agonizava. Um dos suspeitos, Luiz Antônio Santana Pereira, de 48 anos, confessou o crime e teve a prisão preventiva decretada.

Além de queimado, o corpo apresentava fratura de vários ossos, dificultando a identificação, que só ocorreu após exame papiloscópico. O caso aconteceu em Nova Alvorada do Sul, distante 329 quilômetros de Campo Grande.

Conforme apurado pela reportagem, a vítima saiu de casa na noite de sábado (dia 17) e não retornou mais. Ela era usuária de drogas e constantemente ficava na rua em busca de entorpecentes. Durante as investigações, a polícia chegou a duas testemunhas, que eram sempre vistas na companhia da vítima. Elas contaram que o autor do homicídio havia saído com Aliana no início da noite. Morador de rua, Luiz retornou ao local depois do crime dizendo que havia matado a mulher.

A polícia localizou Luiz, que confessou o crime. Ele contou aos investigadores, que com auxílio de outro suspeito, já identificado pela equipe policial, encontrou a vítima na rua e ofereceu droga para ela em troca de um programa sexual. Os três foram até o canavial, localizado às margens da BR-163, no Km 355, onde consumiram entorpecente juntos. Depois disso, segundo relatos do acusado à polícia, a mulher se negou a fazer o programa.

Eles, então, passaram a agredi-la com socos, estrangulamentos e golpes na cabeça com um macaco hidráulico. Enquanto a vítima agonizava, o outro suspeito teria abusado da vítima sexualmente. Indagado, Luiz disse não saber sobre o fogo colocado no corpo da vítima, colocando a culpa do incêndio no comparsa.

Ontem, o juiz Jessé Cruciol Júnior decretou a prisão preventiva do morador de rua. O caso segue sob investigação da delegacia de Polícia Civil do município que faz buscas para prender o outro acusado.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias