Quinta, 06 de Maio de 2021 09:57
67 99698-9354
Mato Grosso do Sul Aumento

Gasolina já subiu 43,4% este ano e preço chega a R$ 5,99

Petrobras anunciou ontem o oitavo reajuste nos preços da gasolina e do diesel neste ano, que passa a valer a partir de hoje nas refinarias da estatal

16/04/2021 18h59 Atualizada há 2 semanas
1.191
Por: Redação
Gasolina já subiu 43,4% este ano e preço chega a R$ 5,99

A Petrobras anunciou reajuste de 1,9% no preço da gasolina e de 3,8% no óleo diesel em suas refinarias, que passa a valer a partir de hoje.  

É o oitavo aumento anunciado para a gasolina, que já acumula alta de 43,47%, e o sétimo para o diesel, que subiu 36,63% em 2021. Os combustíveis ficam, respectivamente, R$ 0,05 e R$ 0,10 mais caros a partir de hoje.

Em nota, a Petrobras justifica que “os reajustes são realizados a qualquer tempo, sem periodicidade definida, de acordo com as condições de mercado e análise do ambiente externo. Isso possibilita à companhia competir de maneira mais eficiente e flexível e evita o repasse imediato da volatilidade externa para os preços internos”, informou a estatal.

O litro da gasolina passa a custar R$ 2,64 nas refinarias da estatal, e o diesel, R$ 2,76.  

Recentemente, a Petrobras havia feito dois cortes no preço do diesel, acompanhando a queda das cotações internacionais do petróleo, que foi a R$ 2,66 por litro. O preço da gasolina havia caído uma vez e foi a R$ 2,59.

Últimas notícias

Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$ 1,84. Já o do diesel saía a R$ 2,02.

De acordo com o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos (Sinpetro-MS), Edson Lazarotto, toda a cadeia sofre com o aumento dos preços.  

“A nossa esperança é de que as coisas mudem, esses reajustes afetam toda a economia, além de inflação, transporte coletivo e diversos outros serviços. Em todas as etapas, o aumento não é bom para ninguém, e para o consumidor fica cada vez mais difícil, porque ele absorve toda a carga de impostos e os aumentos”, destacou ao Correio do Estado.  

A alta dos combustíveis foi fator determinante para que a inflação oficial tenha atingido em março o maior patamar desde 2015, 0,93%. Em 12 meses, a inflação chegou a 6,10%, valor superior ao teto da meta para 2021, de 5,25%.

O consumidor deve sentir o impacto dos aumentos no bolso nos próximos dias. Lazarotto explica que o repasse deve chegar às bombas em até uma semana.

“A partir de hoje esse repasse já chega às distribuidoras, nas bombas, os reajustes geralmente demoram uma semana. O aumento deve ser de, em média, R$ 0,05 na gasolina e de R$ 0,10 no diesel – já são oito aumentos apenas neste ano”, informou.

PREÇO

Os preços praticados nas refinarias atingiram o menor valor já registrado no ano passado. A gasolina foi a R$ 0,91, e o diesel, a R$ 1,14, em abril de 2020.  

Na época, a gasolina era comercializada a R$ 3,98 em Mato Grosso do Sul. Desde então, o consumidor tem percebido aumentos consecutivos.

Desde dezembro do ano passado, a gasolina comercializada no Estado tem batido recordes, com os maiores valores já registrados na série histórica da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Nas bombas dos postos de combustíveis, antes mesmo do reajuste, o preço praticado em Mato Grosso do Sul é de, em média, R$ 5,58, sendo o mínimo R$ 5,47 e o máximo R$ 5,99.

Já o diesel comum é comercializado pelo preço médio de R$ 4,17 no Estado, indo do mínimo de R$ 3,99 ao máximo de R$ 4,33. De acordo com o diretor do Sinpetro-MS, a oscilação do etanol tem influenciado os reajustes em outros combustíveis.

“O etanol tem subido muito, cada vez que ele passa por um reajuste, impacta nos valores da gasolina, que acaba subindo gradativamente. Nos últimos quatro meses, o reajuste chegou a mais de 43% – é muita coisa!”, explicou.

ICMS

No início do mês, após “congelar” a pauta fiscal do combustível por 30 dias, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) autorizou o reajuste do preço médio ponderado dos combustíveis para cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).  

A pauta fiscal é o preço médio ponderado, definido pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que serve como referência para a base de cálculo da cobrança do ICMS sobre os combustíveis.

Com isso, a gasolina comum ficou R$ 0,18 mais cara no Estado. Isso ocorre por conta da taxa de 30% do ICMS cobrado, que tem uma das maiores taxas do País. Antes, o valor médio cobrado por litro era de R$ 1,50 e, agora, passa para R$ 1,68. Mato Grosso do Sul está entre os cinco estados com maior cobrança de ICMS sobre a gasolina.  

Hoje o imposto estadual representa 30% do preço da gasolina, 20% do preço do etanol e 12% do preço do diesel.

ALTERAÇÕES

A Petrobras passa por um processo de mudança no seu comando, após críticas sucessivas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à política de preços de combustíveis da estatal.

O Conselho de Administração da Petrobras se reúne hoje para avaliar propostas de eleição do novo presidente e dos diretores-executivos da companhia. Para o cargo de presidente, o colegiado avaliará o nome do general da reserva Joaquim Silva e Luna, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Na segunda-feira, Silva e Luna foi aprovado, em assembleia, para assumir uma vaga no Conselho de Administração da petroleira, sendo este um passo necessário para poder assumir o comando da empresa.  

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias