Segunda, 08 de Março de 2021 23:28
67 99698-9354
22°

Poucas nuvens

Campo Grande - MS

Dólar com.

R$ 5,78

Euro

R$ 6,85

Peso Arg.

R$ 0,06

Anúncio
Mato Grosso do Sul COVID-19

Mato Grosso do Sul ultrapassa 175 mil casos de Covid-19

Brasil já tem mais de 10 milhões de infectados, desde o início da pandemia

20/02/2021 14h12 Atualizada há 2 semanas
1.198
Por: Redação
Mato Grosso do Sul ultrapassa 175 mil casos de Covid-19

O Estado atinge hoje (20) 175.113 confirmações de Covid-19, desde o início da pandemia. As mortes já contabilizam em 3.198 e  recuperados já somam 163.703.

Nas últimas 24 horas foram registrados 12 mortes e 1.007 casos, de acordo com dados do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) deste sábado (20).

Em isolamento domiciliar encontram-se 7.317 doentes. Há 495 pessoas internadas, sendo 235 em leitos clínicos (161 público; 74 privado) e 260 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (193 público; 67 privado).

De ontem para hoje, Campo Grande registrou 283 novos casos; Dourados 122; Corumbá 80; Três Lagoas 59; Ponta Porã 48; Naviraí 39 e Chapadão do Sul 36.

Campo Grande, Bandeirantes, São Gabriel do Oeste, Corumbá, Dourados, Guia Lopes da Laguna e Figueirão são as cidades que apresentaram mortes nas últimas 24 horas.

A secretária adjunta de saúde, Christinne Maymone, lamenta as famílias que perderam seus entes queridos de uma forma tão precoce para a doença.

A ocupação global de leitos UTI na macrorregião de Campo Grande está em 75%, Três Lagoas 66% e Corumbá 75%. Em Dourados, a situação é pior: 94%.

Panorama da Covid-19 no Brasil

Já são 10.081.676 brasileiros infectados pelo vírus e 244.765 óbitos. Em um dia, o país registrou 51.050 novos casos e 1.308 mortes.

O sudeste é o que mais preocupa tanto em casos, quanto em mortes. A região já possui 3.672.495 confirmações e 113.243 óbitos.

A região Centro-Oeste é a que possui menor número de mortes (21.653) e também menor número de diagnósticos positivos (1.079.759), desde o início da pandemia.

Os dados são do Ministério da Saúde.

Esperança

No dia 18 de janeiro, 158.760 doses da vacina Coronavac desembarcaram na Base Aérea de Campo Grande.

Em 22 de janeiro, 2 milhões de doses da vacina de Oxford chegaram no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

Depois, seguiram para o Rio de Janeiro. Desse número, 22 mil chegaram no Estado no dia 24 de janeiro.

No dia 25 de janeiro, 10.200 doses da vacina Coronavac desembarcaram no Aeroporto Internacional de Campo Grande em um voo da Latam.

Mais 32 mil doses da vacina Coronavac chegaram em 7 de fevereiro no Aeroporto Internacional de Campo Grande. As vacinas vieram acondicionadas em 160 caixas.

As vacinas já estão em todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul. A cada lote de entregas, os imunizantes vão sendo distribuídos imediatamente.

A força tarefa de distribuição de vacinas contou com o apoio da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.

“Em menos de 24 horas, nós chegamos a todos os 79 municípios. Foi uma integração de resultado que funcionou muito bem. Mato Grosso do Sul deu um exemplo ao Brasil na logística da entrega de vacinas”, narra Reinaldo Azambuja, governador.

De acordo com o Instituto Butantan, eficácia geral da Coronavac é de 50,4%.

“Viva o sus, viva a vacina e viva a nossa esperança que poderemos modificar o ano de 2021”, celebra Christinne.

“Não vamos descansar sábados, domingos, feriados. Vamos trabalhar incessantemente para ter sucesso nessa batalha final que é aguardada por tanta gente”, disse Geraldo Resende, secretário estadual de Saúde.

Mato Grosso do Sul pretende vacinar toda sua população até julho deste ano.

O governo do Estado apresentou ao Supremo Tribunal Federal uma petição para compra de mais de 500 mil doses do imunizante Sputnik V em negociação com mais sete estados. São eles: Bahia, Piauí, Espírito Santo, Paraíba, Sergipe, Maranhão e Pernambuco.

O Estado aguarda a quinta remessa da vacina

O secretário assegura que ninguém vai furar a fila da vacina ou passar na frente de alguém.

Vacina

Geraldo pede para que a população se vacine e destaca a importância da ciência em todo o processo.

“Além do processo de higiene, usar máscara, distanciamento social, a gente aponta mais uma coisa importante no processo de enfrentamento à Covid-19: a vacina”, cita.

“Não dê espaço para aqueles que jogam no obscurantismo e nem para aqueles que querem voltar aos tempos das trevas. A vacina é uma grande conquista da ciência e da humanidade”, complementa.

Ainda segundo o secretário, a vacina, além de ser um ato de vontade própria, também é um ato de vontade coletiva de fazer com que a pandemia seja cessada.

Em Campo Grande, o sistema de imunização seguirá à risca as determinações orientadas pelo Ministério da Saúde."A prioridade já vem determinada, vem engessada do governo federal”, afirma.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias