Sábado, 23 de Janeiro de 2021 20:15
67 99698-9354
Mato Grosso do Sul COVID-19

Diretores de hospitais lotados preveem caos a partir do fim de semana

Impacto das aglomerações nas festas de fim de ano deve ser notado a partir do 10º dia do ano

06/01/2021 11h23 Atualizada há 2 dias
1.093
Por: Redação
Diretores de hospitais lotados preveem caos a partir do fim de semana

Mesmo com hospitais no limite de atendimento em Campo Grande, com pacientes intubados no Ambu (ventilação manual), o cenário pode ser ainda pior a partir do fim de semana. É o que projeta a diretora do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS), Rosana Leite.

De acordo com a diretora, as festas de fim de ano ainda não influenciaram nas taxas de ocupação do Hospital Regional, entretanto, a partir do fim de semana poderá haver um aumento significativo.

“Um aumento grande virá a partir do 10º ao 15º dias das datas comemorativas. Este foi o padrão que observamos no decorrer do ano de 2020, após as datas comemorativas do Dia das Mães, do 7 de Setembro e outros feriados”, disse.

Últimas notícias

Ontem, a Santa Casa divulgou que o pronto-socorro atenderia apenas pacientes regulados e com referência exclusiva para o hospital. A medida era válida por 24 horas e, após este período, a situação seria reavaliada. 

De acordo com a diretoria do hospital, a redução no atendimento do pronto-socorro foi feita para minimizar o risco de desassistência aos pacientes que já estão internados. “Informamos ainda que todos os órgãos competentes já foram comunicados”.

De acordo com a Santa Casa, a ocupação total de leitos é de 75%, sejam eles de enfermaria ou unidade de terapia intensiva (UTI) adulto ou pediátrico. A maior preocupação é com os leitos críticos. A taxa de ocupação nas UTIs está em 130%, ou seja, 30% aguardavam vagas.

Três salas cirúrgicas estão interditadas para tratamento dos pacientes excedentes graves sedados e intubados que compõem os 30% das vagas. Dos 30 leitos de UTI destinados ao tratamento exclusivo da Covid-19 no hospital, 27 estavam ocupados na tarde de ontem.

 

Ao todo, oito pacientes estavam em respiração espontânea e seis em ventilação mecânica. De acordo com nota do hospital, entre 0h do dia 30 de dezembro até 10h20min de ontem,10 pacientes precisaram de ventilação manual (Ambu). 

Ontem, um desses pacientes socorridos pelo Ambu estava sendo assistido desde 5h30min. A Santa Casa informou ainda que recebeu, entre o dia 30 de dezembro e hoje, 389 solicitações de transferência de pacientes. 

Desses, 192 foram enviados como vaga zero, ou seja, equivalente a 49% das solicitações. As internações estão com média de 103 pacientes por dia. Além dos pacientes da regulação, foram enviados para o hospital pacientes levados por Samu, Corpo de Bombeiros e demanda espontânea.

OUTROS HOSPITAIS

Dados do Hospital Regional apontam que desde o dia 1º houve uma queda na ocupação de leitos de UTI adulto, no primeiro dia a taxa era de 91% e reduziu para 75% ontem. 

O hospital estava com 75 pessoas internadas na UTI, entre casos suspeitos e confirmados. A taxa de ocupação do HRMS ficou acima de 100% diversas vezes durante o ano passado.  

Ontem, a ocupação dos leitos clínicos gerais no HRMS estava em 74% para adultos e 89% dos leitos de UTI adulto. A ocupação dos leitos clínicos para Covid-19 estava em apenas 44%.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), a lotação de UTI global em hospitais públicos na Capital era de 83% do total de 243 vagas. 

Com a soma de hospitais públicos e privados com vagas para o Sistema Único de Saúde (SUS), 84% dos leitos estão ocupados. Segundo a Secretaria, o fluxo nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) ainda está normal, já que geralmente nesta época do ano há muitos traumas.

No Hospital Adventista do Pênfigo, a taxa de ocupação da UTI geral era de 84%. Dos 21 leitos de UTI para Covid-19 disponíveis, 19 estavam ocupados. Quanto aos leitos clínicos, a situação é um pouco melhor, com ocupação de seis leitos do total de 16.

No Hospital Proncor, os leitos clínicos gerais têm ocupação de 60% e a UTI geral estava com 90%. Já os leitos de Covid-19 tinham 100% de ocupação na UTI e 68% de ocupação nos leitos clínicos.

A taxa de ocupação do Hospital Geral El Kadri era de 75% em dezembro e teve uma queda para 65% em janeiro. De acordo com o centro médico, a redução deve continuar até o início da segunda quinzena de janeiro, em razão das festividades de fim de ano, como Natal e Ano-Novo.

No Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, todos os 10 leitos abertos no início da semana para Covid-19 já estão ocupados. De acordo com a unidade, não é possível notar uma piora no período de festividades, pois o local está sempre cheio.

Outro lugar lotado é o Hospital da Cassems, onde a UTI geral estava com 100% de ocupação. A UTI para Covid-19 estava com 90%.

No Hospital da Unimed, a UTI geral tem 10 leitos, dos quais oito estavam ocupados, e 14 leitos clínicos, com 13 preenchidos. Para o tratamento de Covid-19, eram 37 leitos ocupados, do total de 40 vagas da UTI, e 33 pacientes nos leitos clínicos, do total de 68.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias