Sábado, 23 de Janeiro de 2021 19:08
67 99698-9354
Mato Grosso do Sul Investigação

Com queixa por 'atentado fake' na Corregedoria, 2021 deve ser crucial para mandato de Trutis

Ele é acusado de forjar tentativa de assassinato ocorrida em fevereiro do ano passando, na saída para Sidrolândia

05/01/2021 07h49 Atualizada há 2 dias
2.034
Por: Redação
Com queixa por 'atentado fake' na Corregedoria, 2021 deve ser crucial para mandato de Trutis

Processo que aponta fraude do deputado federal Loester Trutis, do PSL-MS, terminou 2020 na Corregedoria da Câmara dos Deputados. Assim que o recesso parlamentar se encerrar, em fevereiro, o caso pode ir para o Conselho de Ética, que é quem define o tipo de pena a ser aplicada. A mais severa é a cassação do mandato. 

A mais recente movimentação no processo foi no final de novembro de 2020, quando a Corregedoria da Casa recebeu a queixa contra o deputado e intimou a defesa dele a dar explicações, no prazo de cinco dias. 

O deputado federal Paulo Bergston, do PTB da Bahia, é o responsável pela Corregedoria da Câmara dos Deputados. Ele abriu o inquérito interno após o Supremo Tribunal Federal enviar à Câmara os detalhes do caso da falsa denúncia de atentado a tiros, ocorrida em fevereiro de 2020.  

Depois da análise do caso, o órgão interno da Câmara decide se Trutis quebrou o decoro parlamentar. Se a decisão for sim, o caso é enviado à mesa-diretora do parlamento, que decide ou não enviar para o Conselho de Ética. 

É nesse segundo órgão, que o caso é analisado novamente, com amplo direito à defesa do deputado, e dado um parecer sobre qual penalidade deve ser imposta. A pena pode ser uma reprimenda, suspensão de até seis meses do mandato ou a cassação. 

Repostas? 

Na noite de 13 de novembro, dia depois de ser detido pela Polícia Federal, por estar em posse de armas de uso restrito, Trutis justificou, via rede social, a posse do armamento, porém nada falou sobre a constatação da PF em forjar o atentado. 

Em outra postagem, na mesma noite, Loester disse que a imprensa mente ao atribuir a ele o atentado falso, porém, a acusação foi feita pela Polícia Federal, sendo os mandados contra ele e assessores dele autorizados pelo Supremo Tribunal Federal. 

Tentamos contato com Trutis no início de 2021, mas ele não respondeu aos questionamentos.  

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias